Embalagens a vácuo geram até 60% de economia para frigoríficos

por embala_ne
0 comentário

Sealed Air, empresa especializada em embalagem a vácuo, se especializa em consultoria técnica com foco em treinamento, gestão industrial e auditoria para indústria de carne no Brasil

A Sealed Air, indústria de embalagens e soluções de proteção, está ampliando sua atuação no mercado de proteínas e investindo em consultoria técnica e operacional. O objetivo é atender a indústria frigorífica que busca inovação e processos eficientes e de qualidade para produção da carne bovina in natura embalada a vácuo.

O serviço chamado SEE OpEx inclui um mapeamento para analisar os pontos de influência na qualidade da proteína embalada a vácuo, desde o processo de desossa, refile e câmaras de maturação até os sistemas de estocagem, expedição e logística da carne para consumo. Além disso, a empresa oferece diversos treinamentos, auditoria do processo produtivo, análises de desempenho e procedimento e gestão industrial.

De acordo com Ivan Rossi, Gerente Técnico de Aplicações e Embalagens, o potencial de economia para frigoríficos com as melhorias na linha de produção é de até 60% a partir da redução de reprocessos de produto embalado a vácuo, com consequente economia de embalagem, redução de devoluções e maior disponibilidade de produção da operação, o que gera incremento em vendas. “Acompanhamos de perto a realidade dos frigoríficos há mais de 20 anos no Brasil e sabemos dos desafios enfrentados pela indústria de proteínas no atual momento de crise que vivemos. Nosso papel é contribuir com a capacitação de mão de obra, análise técnica e desenvolvimento de plano de ação para que nossos clientes reduzam perdas e atinjam excelência operacional, comercializando seus produtos a vácuo com qualidade para o consumidor final”.

Questionada pela reportagem do AviSite se o mesmo procedimento também se aplica para o processamento de carne de frango, a empresa respondeu em nota que “ o trabalho de consultoria técnica também pode atender a indústria de frango. No Brasil, por enquanto este trabalho tem sido mais forte com a indústria de carne bovina, mas a Sealed Air quer atender todos os processadores de proteínas que utilizam a tecnologia de embalagem a vácuo”, disse a nota.

A empresa ainda afirmou que grandes operações de frigoríficos brasileiros, como a Minerva Foods, já estão realizando este trabalho com a Sealed Air. “A Minerva Foods atua em parceria com a Sealed Air no sistema de Eficiência Operacional SEE OpEx desde janeiro de 2019. Notamos melhorias construtivas dentro do processo e manuseio de embalagens com as visitas preventivas e treinamentos desde o início das operações”, comenta Marcia Lopes, Gerente Executiva de Qualidade da Minerva Foods.

Os treinamentos oferecidos pela Sealed Air são teóricos e práticos e envolvem tanto os operadores da planta, como também profissionais de fora das fábricas como as equipes dos centros de distribuição e vendas. Os frigoríficos também contam com o trabalho de auditoria do processo produtivo realizado pela equipe técnica da empresa. “Como desenvolvemos uma avaliação de todos os procedimentos, identificamos onde estão os gargalos e falhas que ocasionam perdas e retrabalhos, como – por exemplo – problemas operacionais devido ao manuseio e dimensionamento incorretos das embalagens; características da carne; funcionalidades dos equipamentos etc.” , diz Ivan.

Por meio de análises de desempenho e de procedimentos, os frigoríficos recebem uma avaliação com indicadores reais e são criados Scorecards para as unidades que recebem acompanhamento ao longo do tempo e sugestão de planos de ação para cada planta produtiva. A Divisão Técnica desenvolve relatórios gerenciais completos a cada visita, com comparação de desempenho e avaliação das necessidades. “Todo este trabalho oferece grandes vantagens para as operações de proteína. Ao mapear a operação e identificar as falhas, é possível traçar planos de ação para reverter os problemas, evitando perdas e gerando economia de embalagens, além de redução de devoluções do mercado por problemas relacionados a vácuo. Tudo isso colabora para uma operação com excelência no que tange sistemas a vácuo. Os produtos ganham mais qualidade, os desgastes com devoluções de clientes são reduzidos e a marca é mais valorizada para o cliente final”, finaliza o executivo.

Fonte: Notícias Agrícolas

#acessibilidade #adimax #alimento #alimentos #beneficio #biodegrádavel #braile #brasil #ciencia #embalage #embalagens #embalanordeste #estudo #petfood #promoção #qrcode #smartphone #sucrilhos #Kellogg’s #SeguimosJuntos #sustentabilidade #usp #varejo anvisa automotivo economia embalagem embalagemmarca embalane embala nordeste expositor ig máquinas indústria investimento isolamento marcadevinho marketing digital pandemia pantone papel papelão pesquisa schaeffler setor skol smurfit kappa brasil Vinho

 

Compartilhar

Você pode gostar

Deixar um comentário