Eureciclo lança selos que mostram quantidade de embalagens recicladas

por embala_ne
0 comentário

A eureciclo, certificadora de logística reversa, amplia sua comunicação com os consumidores, levando informações mais acessíveis sobre a atuação das empresas com a reciclagem. Com o lançamento de dois novos selos, os consumidores terão mais um atributo para observar na hora de escolher marcas que se responsabilizam pelas embalagens geradas.

Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes são responsáveis por implementar a logística reversa das embalagens após o uso do consumidor, com meta atualmente definida em 22% das embalagens inseridas no mercado. Dado que as embalagens pós-consumo têm um destino difuso, a eureciclo utiliza a compensação ambiental como uma forma mais viável técnica e economicamente para cumprir com a logística reversa desses resíduos.

Ao direcionar para reciclagem resíduos equivalentes aos seus, em peso e material, as empresas de bens de consumo remuneram os operadores de coleta e triagem pelo serviço ambiental prestado e recebem os Certificados de Reciclagem como forma de comprovação legal. Isso quer dizer que é possível que uma empresa invista na reciclagem de embalagens equivalentes, na proporção de 22% do que coloca no mercado, de 100% ou até mesmo mais do que isso. Agora elas terão selos diferenciados, de acordo com a proporção de embalagens compensadas.

“Nós tínhamos apenas um selo que informava o cumprimento da meta estabelecida pela lei. Mas, com o tempo, sentimos a necessidade de deixar claro quando o engajamento é maior e ultrapassa a determinação legal”, explica Thiago Carvalho Pinto, CEO e cofundador da eureciclo.

“Todas as empresas que utilizam o selo informam ao público que estão se responsabilizando pelos seus resíduos, e permitem que as pessoas engajadas deem preferência às marcas que investem em reciclagem”, diz o especialista. “Nosso principal objetivo é incentivar que cada vez mais embalagens retornem para a cadeia produtiva, aumentando as taxas de reciclagem no Brasil”, completa.

Fonte: Embalagem Marca
Compartilhar

Você pode gostar

Deixar um comentário